1 de setembro de 2011

No Acostamento


"Bem lá no fundo ela sabia que toda a calma que aparentava não tinha nada a ver com tranqüilidade, e sim com indiferença."
Fernanda Roldi
----------------------------

O cinto de segurança, me prendeu ao banco. Para mim isto não significava muito se, era eu com as mãos no volante, se era eu que ia tomar a direção.

Para disfarçar insegurança: Sorrisos. Meu namorado permanecia calmo do meu lado, me mostrando os comandos. "Quando você sentir que pode, é só ir..." Era a autonomia de novo, pegando carona comigo.


Pé no acelerador. Hey, forte demais!, ele exclamou. Desculpa, eu nunca soube dosar  velocidade, sempre pisando fundo, as vezes até sem saber pra aonde ir, apenas porquê queria chegar a algum lugar. Ou dar a impressão disto. 


Sempre gostei do lado na janela do carro, quando pequena deitava no banco, abraçada à uma boneca eu ia olhando o céu azul por entre as nuvens. Meu pai estava dirigindo, então nada mais importava, nem saber o destino, ele me levava, ele me conduzia. Entretanto, um dia ele não quis mais ser meu herói. Será que foi pai, a partir daquele dia, na 1ª série, quando você me mandou buscar minha sala sozinha? Eu tinha apenas sete anos e era o primeiro dia. 


Já faz tempo, só eu não notei, que paramos no acostamento e vocês a quem eu chamo ainda de família, foram descendo um a um da minha vida.

9 comentários:

  1. Triste e doce querida.
    Um beijo na testa.

    ResponderExcluir
  2. Triste, ler seus posts sempre fazem me sentir bem de certa maneira! Beijos pequena poetisa!

    ResponderExcluir
  3. Já te falei uma vez... você é profunda demais!!!
    Sorte de quem encontra o fundo! Sabe que os seres mais interessantes do oceano ficam nas fossas abissais, que são tão profundas, que algumas não tem a metragem exata, apenas estimativas...
    você é assim! Olhe, nem todo mundo entende as pessoas mais lindas, as mais brilhantes, as mais importantes... a maioria fica isolada do mundo, por que é realmente diferente, mas não diferente de um jeito ruim, como as vezes a gente pensa...

    Fica bem querida!

    cheirinho

    ResponderExcluir
  4. Olá, florzinha!

    Obrigada por me seguir... Sinta-se em casa! ^^

    Gostei muito do seu blog, seus textos são lindos *-*
    [Particularmente, também gostei muito de ver um dos meus pensamentozinhos bem ali no cantinho do seu blog >.<"]

    Seguindo aqui!

    Beeijos :*

    ResponderExcluir
  5. Tem pessoas que tem um blog que se comunicam e desabafam.
    E outras que fazem um blog lindo como poesia, profundas análises da vida enxarcados de sentimentos que pelo menos alguma vez já sentimos.
    Um achado prazeroso e reflexivo em que ficamos torçendo para o próximo desenrolar!!!!!!
    Parábens!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Oii, acompanho seu blog amuito tempo, sempre no anonimato, fiz um blog, se puder da uma olhada e seguir, obriagada Vhi, e desejo-te o melhor, amo os teus posts.
    bjoo :*

    ResponderExcluir
  7. O olhar para si é um modo de se encontrar. Desabafar é um modo de olhar as coisas de um mod diferente. Refletir. Ver que a vida é um labirinto. E todos podemos nos perder. Nele. Parar no acostamento e sumir é isso. Se perder. De si. De todos. Parece fácil. Mas não é. O que se passam em cada um, só cada um sabe...

    Beijos!

    ResponderExcluir