25 de novembro de 2011

Apenas ser filha, pai.



"Às vezes bate aquela vontade de ir embora, mesmo sem ter pra onde ir..."
Coringa Quinn







E ficamos assim, você achando que eu não quero morar contigo e eu supondo o mesmo. Ambos com orgulho do tamanho de um abismo. Ontem, gotejou saudade no vazio reservado para um amor de pai. Nenhum dos outros amores pode habitar neste lugar, ele sempre será seu. Quando mal percebia, lá estava eu, querendo uma amostra de algum sentimento, puxando assuntos que te interessam, porém o que tínhamos em comum não veio no caminhão de mudança.


Só sei que gostaria de voltar a ser sua filha, pai. Será que o senhor sabe do que estou falando? Senti ciúmes quando você falou para minha madrasta chamar o filho dela para morar com vocês, por que havia se metido em uma confusão na ultima segunda. Pra mim, você sugeriu uma kitinet que é a metade do meu salário, disse que é só uma questão de tempo a minha avó começar a reclamar e meu avô se tornar insuportável. “Ter a sua liberdade, não tem preço...”, argumentou.

Inquietei. Sentando encostada no travesseiro, estava escuro e da sala vinha o barulho da tevê. Tomei um, dois, três goles do leite gelado, pensado. É, ele tem razão. Acontece que eu tenho medo. Medo da minha vó, acordar um dia se perguntando o que estamos fazendo ali e, não nos expulsasse, mas, começasse nos tratar mal. Não, eu não me orgulho desta vida nômade.

14 comentários:

  1. Você é uma linda Fada, que os anjos acalmem seu coraçãozinho, precisando pode usar meu colo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ooo amor, fica assim não... Eu também sinto muita falta do meu pai... mas ele mora comigo... o que é pior ainda!! Mas concordo com ele, a liberdade não tem preço! Fique com a kitnet se você está com tanto medo assim de sua avó... Beijinhos meu anjo :* Melhoras ^^

    ResponderExcluir
  3. oie flor que coisa ruim mais eu acho que pai é sempre pai em algum lugar tem um sentimento dele por vc,espero que as coisas se resolvam,beijo

    ResponderExcluir
  4. Ciúme de família é amor.
    Cultive os que te pertencem, pois estes são pra sempre.
    :***

    ResponderExcluir
  5. Por aqui tem gotejado saudade também..um lugar que já tem dono mas já nem sei.
    Também não ia querer morar sozinha...
    ;*

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    A vida nomâde demonstra que vc tem tentado de todas as formas, lutado bravamente por algo seu.

    ResponderExcluir
  7. Olá.

    Há sempre
    uma vontade eterna,
    de voltarmos
    aos braços
    de quem nos fez
    e de quem nos faz
    feliz...


    Que a alegria
    faça folia
    em teu coração.

    ResponderExcluir
  8. *chorei*

    =*

    (Tentei comentar algo mas fui incapaz, diante da emoção que brotou em mim)

    ResponderExcluir
  9. O orgulho é uma coisa que corrói o íntimo. A vontade de voltar é o coração sussurrando a verdade a ser feita. Mágoas são como pedras que carregamos numa mochila ao fazermos uma travessia a nado. Uma hora não aguentamos o peso e afogamos...

    É sempre hora de deixar a mochila afundar e seguir a travessia mais leve, sem mágoas.

    E tudo volta normal.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. a vida as vezes parece ser injusta
    parece + uma indigestão
    é a paciência é a ultima coisa que aparece
    tenho certeza que dias melhores virão
    bjs

    ResponderExcluir
  11. aain linda voce me faz chorar sabia
    lindolindolindo seu texto

    ResponderExcluir
  12. Um texto lindo, cheio de sentimentos, daqueles que te faz dar um nó na garganta. Isso acontece muito por aí. Precisamos ser fortes, sobrepor as nossas próprias dores para o nosso bem. É tipo a frase q citou de Augusto Cury acima, não abandonar a si mesmo. Que Deus te abençoe! Um beijo na testa. Seguindo-te viu!

    ResponderExcluir
  13. Quanta intensidade em suas palavras, adorei.

    ResponderExcluir