24 de fevereiro de 2012

A verdade



_Eu queria ser uma existência perfeita! Eu queria saber tudo deste mundo! O que há de errado em ansiar? O que há de errado em tentar realizar seus desejos? Quem... quem é você? Por que faz isso? Quem você pensa que é?


_Eu sou a existência que vocês chamam de "mundo", ou talvez "universo", ou talvez "Deus", ou talvez "verdade", ou talvez "tudo", ou talvez "um". E... eu sou "você. Você disse: "A verdade lhe proporciona o desespero para que assim não fique pretensioso". Portanto, eu também lhe proporcionarei o desespero. Desespero para aquele que for pretensioso.
_O que eu deveria ter feito?
_Este é o fim que você desejou.
_O que eu deveria ter feito?
_Você já conhece essa resposta ___ Fullmetal Alchemist

________________________________________________________________________

Prioridades: cada um tem a sua. Engraçado como palavras ditas por desconhecidos tendem a ter uma relevância muito menor se proferidas por pessoas tidas como próximas. Obviamente, dependendo da temática e abordagem, podem até doer, e muito, mas por que considerá-las, se vindas de um qualquer? Ah sim, "Toda dor é suportável, quando não é em mim".

Cobranças todos temos. Geramos expectativas, repercussões... conversas de bar. Tudo depende de nossa relevância na vida da pessoa, baseada em nossos atos, sejam eles de inveja, orgulho, raiva e afins. Cada um têm sua peculiaridade. Meu chefe, por exemplo, não conta nada de sua vida pessoal a ninguém do serviço, mas, ao ter seu nome divulgado em uma lista de aprovação para segunda fase de um concurso de juiz, não conseguiu esconder o sorriso ao saber que todos já sabiam. Satisfação? Ou uma máscara feita sob encomenda para esconder o medo de desapontar? 

Ao chegar em casa me deparo com um cheiro forte de tinta - reforma, vida nova na casa! Então, logo descubro: apenas a família querendo causar boa impressão aos primos, que vêm passar o fim de semana em casa para economizar com estadia durante um curso rápido nem sei de que - afinal, somos muito próximos. Vivemos de aparências, ou vai me dizer que você não gosta de receber palavras de conforto? De saber que está no caminho certo... Eu mesmo ainda me pergunto isto, e até cogito umas férias de mim mesmo, do serviço e do mundo, para recompor idéias, fechar projetos e traçar metas - sempre fui desses. 

Palavras são destrutivas. Assim aprendi...


#Escrito por Zumbi

5 comentários:

  1. É sempre pensei dessa maneira,palavras são mto destrutivas...
    E com certeza concordo com o fato de todos nós vivermos de aparências...somos humanos,não tem outro jeito.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. É, vivemos de aparências, como se fosse um eterno julgamento, em que devemos sempre parecer ser o bom moço.
    Não lembro onde li essa frase: "Palavras são, na minha tão humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia. Capazes de ferir e de curar." Mas não posso deixar de concordar, palavras tem, além da sua destrutividade, seu poder de cura. Toda moeda tem os dois lados, não é? :)

    Küss

    ResponderExcluir
  3. Como suas palavras são incisivas fada!
    Ah, todos vivem de aparência... mesmo que as vezes as coias voltei ao lugar!
    Fica bem fada!

    ResponderExcluir
  4. Escrevi sobre "máscaras" em meu blog ontem.

    Sobre o seu chefe? Voto na segunda obção b)máscara feita sob encomenda para esconder o medo de desapontar.

    Mas e quem não é assim?

    ResponderExcluir
  5. Palavras, são as coisas mais maleaveis do mundo... Podem ser tanto destrutivas, quanto construtivas... Palvras são a forma que as pessoas acham de bater em quem não podem tocar ou afagar quem não podem abraçar... Sou escritora, sempre me apego as palvras..

    As mascaras continuam caindo... Todods os dias e nós vivemos esperando que as nossas também não caiam...

    Assim somos obrigados a continuar vivendo... com mascaras, sonhos e aparencias... Sempre...

    Beijos

    ResponderExcluir