21 de março de 2012

Dívida de presença

"Não quero lembrar. 
Faz mal lembrar das coisas que se foram e não voltam. (…) Agora já passou. 
Não sinto raiva, não sinto nada. 
Sinto saudade, de vez em quando. 
Quando penso que podia ter sido  diferente". 
Caio F. Abreu
______________________________


Onde eu morava, tinha uma escola bem na esquina. Eu ia lá quase todas as noites, após o trabalho e a caminhada, para ficar na biblioteca. Era a minha desculpa para fugir de casa. Por que não aguentava, depois de um dia inteiro, chegar e ver que as coisas continuavam iguais. Aquela realidade eu não queria, ela me enojava de tal modo que me fiz órfã da minha própria vida. Gostava de entrar pela porta e a sala estar numa solidão, deitar na minha cama sem ter brigado – por motivos bobos – com a minha irmã, ou ter discutido qualquer assunto relacionado a dinheiro com meu pai.


Esse não é um post sobre alguém querendo encontrar razões para fugir de casa, todos em algum momento tiveram “os seus” motivos suficientes para ter essa vontade e, sim sobre ironicamente desejar novamente um lugar para chamar de seu lar.  Estou nos meus avós, eles me trazem um pouco de saudade do tempo em que morava com meus pais. Saudades do meu pai incendiando a cozinha para preparar o melhor bife acebolado que comi na vida, ou do “amigo oculto” que fazíamos ali entre nós quatro mesmo com todos sabendo.

Descobri até que ponto o desejo de me afastar funcionou, deixando uma dívida de presença a se pagar. 

8 comentários:

  1. Ual,esse post foi realmente profundo...
    TE acompanho a pouco tempo, uns dois meses... e tenho q adimitir q estou umpouco perdida a respeito da sua hitoria.. e bastante curiosa sobre seu passado.
    Acho q todas nos temos ou ja tivemos um lugarsinho q pudessemos fugir de nossa realidade... e querendo ou nao nos faz bem... espero q encontre seu lugarsinho para fugir de tudo ai... e o principal: encontre um lugar apra chamar de lar.
    Bjão da Alê

    ResponderExcluir
  2. convivência em família e complicado .... forças ... bjus

    ResponderExcluir
  3. Família... como disse a Camila complicado e as vezes nos sentimos perdida no meio deles.

    Ter um canto... eu entendo bem isso! Chegar ... ficar queta e somente pensar no amanhã ou talvez em nada!

    Melhoras!
    DDD*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vihh, saudades! mas ñ tô conseguindo postar coments +,+ aqui

      Excluir
  4. A gente sempre acha que a grama do vizinho é mais verde... mas todos temos problemas... por que de perto todo mundo é esquisito e tem problemas... e tem como ficar mais perto do que sendo família?
    Espero que você consiga matar a sua saudade!

    ResponderExcluir
  5. oi linda.. aiai familia eh tao complicado, queria morar sozinha.
    a gente acha que la fora tudo eh mais facil, mais se engana viu minha linda?
    tudo na vida vai ter dificuldade, e voce tem capacidade e força suficiente pra conseguir lutar e passar por elas, nao desista.
    beijo e força

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda to tentando perceber se sinto ou não falta da minha prima/irmã... Mas toda vez que eu acho que to com saudades passa.
    De fato sinto falta de duas pessoas da minha cidade e dos onibus que aqui é ruim de pegar... O resto acho que mudei pra melhor...

    Mas td sempre deixa um peso pra se pagar... Infelizmente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Nossa, pode soar como se fosse mentira, mas meus olhos se encheram ao ler essa postagem.
    Estou contendo o choro no trabalho. Esta postagem me fez ficar nostálgica. E me fez reviver uns sentimentos meio estranhos, ao lembrar de coisas já acontecidas em casa e das minhas ausências nessas situações e com pessoas muito importantes para mim.
    A partir do que você escreveu, refleti e percebi as dívidas de presença que também contraí e que, não tenho certeza, se poderei pagar. E isso é o que mais me dói.
    Obrigada pela postagem de hoje. Gosto daqui, porque, inúmeras vezes, você me incita a pensar sobre coisas que, no dia a dia, eu não consigo. Seja porque a minha dureza me leva a fazê-lo, ou porque eu simplesmente não queira pensar sobre coisas assim.
    Espero que possamos quitar tudo isso. Senão, depois de hoje, terei mais um motivo para não ficar em paz. Ou, mais um motivo para buscar melhorar com quem é importante para mim; afinal, já que não posso quitar débitos anteriores, pelo menos, tratarei de não contrair outros.
    Um beijo

    ResponderExcluir