19 de abril de 2012

A borboleta e a persiana





Prendi a borboleta entre as grades da persiana. E agora ela bate suas asas amarelas violentamente contra o vidro que a detém. Antes que você pergunte, sim foi sem querer. A culpa faz a gente fazer uns troços estranhos, de repente, mesmo sabendo que era em vão, fui lá ajudar. Eu também não entenderia como uma coisa invisível aos olhos, poderia me barrar. Mais ou menos esse negócio de “Não se sente muito bem, não tem vontade pra nada”, em casos extremos esses “mal-estares” tem nome e endereço para se tratar.

Até você invejaria tal persistência, tanta vontade de continuar, a tua é bem maior que a minha, tive vontade de lhe contar... Fecho as persianas, fecho os olhos, afinal não é bem mais fácil ignorar? Fingir que nada te atinge, faz de conta que todos são felizes, ninguém às vezes precisa chorar. E a saída? A borboleta descobriria ou não, como muitas pessoas, que a liberdade sempre esteve ali bem perto de se alcançar. 

Não sei se me prenderam na persiana, ou fui eu mesma que quis ficar. 

8 comentários:

  1. eu fiquei por muito longos anos preso a persiana que me fazia mau ... dai encontrei me ...

    bjus

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    As vezes é tão difícil abri-las.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Que texto bonito!

    A saída por vezes, esta ao nosso alcance, dificil é estar desprendida do medo e encarar as mudanças.

    beijo, querida!

    E tudo aqui continua lindo!

    ResponderExcluir
  4. Quanta reflexão em poucas palavras! Amei o texto, vc como sempre impecavel! Beijos sua linda

    ResponderExcluir
  5. ....excelente!!
    Eu mesma que me prendi na persiana!
    Eu queria ter a vontade dessa borboleta de persistir e vencer a vida!
    Massssss hoje, estou tão mau como ontem... e continuo a lutar...mas agora a persiana é mais forte do que eu!

    Amei simplismente seu texto!
    Como sempre muito profundos!

    Você deve sim, continuar a lutar. Vamos lá fada sem asas... voe... não deixe a persiana(os problemas da vida) prende-la!

    DDD*

    ResponderExcluir
  6. Muitas vezes é a gente que escolhe ficar por comodismo mesmo. Parece mais fácil continuar na mesma situação do que tomar alguma atitude pra mudar.

    ResponderExcluir
  7. Flor, nós mesmas nos prendemos e deixamos nossos sentimentos de impotência aflorar,temos que nos libertar deste comodismo, o problema é como faremos isso, mas lutar é essencial para nossa felicidade.

    ResponderExcluir