4 de abril de 2012

Labirintos




"Eu nunca deixarei você ver
O jeito que meu coração partido está me machucando
Eu tenho meu orgulho e eu sei como esconder
Se eu esperar pelos céus tempestuosos,
Você não distinguirá a chuva das lágrimas nos meus olhos,
Eu chorarei na chuva..."
- A-ha  Crying in the rain
___________________


Eu: Pai, o que você queria? – perguntei com uma voz suspeita.
Ele: Nada – respondendo do tipo “ah-eu-sou-seu-pai-se-esqueceu?” – Só queria saber como você estava...

 Acho que sempre vou associar a aproximação dele com:
[x] Solicitações financeiras
[x] Pergunta sobre o paradeiro da minha irmã
[x] Esclarecimento acerca de algum boato que ele ouviu sobre mim



Ah, tentei ser agradável até o fim da conversa. Depois de desligar lembrei a frase dum amigo: “Se você quer saber se deve desistir ou não de uma pessoa, pese as ações dela numa balança.” Não concordo com ele, porém, não sei exatamente em qual momento nossa convivência de pai e filha ficou tão pesado a ponto de restar de vínculo somente o mesmo sobrenome. Nunca consegui deixá-lo livre para respirar fora dos meus padrões, porque ele poderia ter feito assim ou ter deixado de fazer aquilo...

Não quero colocar mais ninguém nesse labirinto, pois ele é dos grandes e tem um abismo no final. 

10 comentários:

  1. Colocar a pessoa numa balança e pesar suas atitudes... bem, acredito que desse jeito sobraram pouquíssimas pessoas ao nosso redor!
    Acho que em alguns casos o lance é perdoar e não esperar nada, pra n se decepcionar!
    A família do meu noivo me decepcionou bastante nos últimos dias...
    tenho tentado perdoar!

    cheirinho fada!

    ResponderExcluir
  2. Como disse a Janna perdoar... e não esperar muito do outro.
    Se realmente formos pesar na balança, até de nós mesmo não sobaria nada!
    Assim como a familia do noivo da Janna a magoou... e alguns anos, atrás tive decepcção com a familia do meu marido, foi muito tirste... foi um destruição de laços com outro pessoa que gosto muitoo. Masss perdoei. Logo?! Não! Vou ser sincera que demorou... mas depois vi que estava fazendo mau a mim mesma.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. apena não se perca nesse labirinto ... caso precise estarei aqui ... bj

    ResponderExcluir
  4. Perdoe, o perdão é divino.
    Não entre nesse labirinto.
    bjos.

    ResponderExcluir
  5. Eu choro toda vez que leio um post seu =') , você escreve com tanto sentimento, admiro tanto isso =) Parabéns !

    ResponderExcluir
  6. oi flor eu nao consigo colocar numa balança por isso estou quase sempre sozinha, é dificil perdoar, mas na verdade temos q ver oq no faz bem ]

    muita força sempre bjao se cuida

    ResponderExcluir
  7. Ás vezes o que parece abismo é na verdade um lugar que nos dará impulso para o voo!

    ResponderExcluir
  8. O abismo é o muro que própria criaste. Apague rastros de dor e mágoas, perdoe a si e aos outros e o labirinto sumirás. Sentirá-se leve.

    Beijo querida!

    ResponderExcluir
  9. As dores transformam-se em força pra irmos em frente. Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  10. acho que devemos pesar as nossas ações para com as pessoas também. Isso muitas vezes esclarece imensamente a situação. Cada pessoa tem um jeito, somos resultados de tudo que passamos e daquilo que buscamos ainda, nunca seremos completos, realmente somos metamorfoses ambulantes, e todo mundo tem dois lados; um passado e o presente; seu reflexo, e devemos respeitar e entender isso, mesmo que haja discórdias e controvérsias...

    ResponderExcluir