18 de junho de 2012

Está doendo...



"Pensei em sumir. Desaparecer. Despistar. Fingir. Só que eu não vou. Vou me esforçar e acreditar que tudo vai ficar bem. A esperança nos mantém vivos, certo? A fé nos faz andar para a frente, certo? Então tá certo. Ficamos combinados dessa forma. Não espere poesia, linhas bem feitas, palavras bonitas. Simplesmente não posso. Agora não. Não sou de ferro. E está doendo."

Clarissa Corrêa. 


Sentada aqui na recepção, eu ainda tenho um dia todo pela frente e por diversas vezes minha cabeça dói.  Não lembro a última vez em que tenha comido com culpa, como tem acontecido por esses dias, após escutar que engordei. Confesso ter relaxado quanto à alimentação, na ilusão de que a neurose havia me deixado. Engano meu. De novo me pego olhando para os braços, conferindo a medida do pulso e o tamanho da barriga. Acho que a briga – infelizmente – recomeçou.


Algo em mim prefere acreditar que seja só inchaço ou apenas emocional, afinal tenho tido muitos motivos para ficar triste. Um deles é a minha mãe, ela vai mesmo embora, sua mudança já foi no último sábado e agora ela aguarda uma reunião do projeto no qual participa para partir. Para a despedida, sugeri levá-la ao cinema, juntamente com a minha irmãzinha para assistir Madagascar.  Ela nunca foi e eu espero me divertir.

Preciso me distrair, deixar de pensar na auto escola, nos dos dois meses restantes antes do  processo de habilitação vencer e de eu perder todo dinheiro investido. Confesso que estou bem indiferente com isso que, chego a ter raiva de mim por querer desistir. Essa é minha a coragem, coragem de enfrentar todos os que acreditaram em mim e dizer que por medo eu coloquei um fim. Não me orgulho disso, porém não consigo parar de ser assim.

Fantasio desfechos mais felizes, conversas mais alegres, beijos e risos para às vezes em que as coisas entre nós, enchem a boca com o gosto amargo típico dos finais. Ainda prefiro que sejamos calmarias e temporais a dois estranhos que, se encontram por acaso e fingem que o que tiveram não foi nada demais. É melhor perder a nunca ter tido e  provar ao menos uma vez do sentimento que antes eu só lia em livros. 

11 comentários:

  1. Oi Viih, que saudades de você...
    Tudo que você escreve me toca de um jeito que nem sei explicar, é sempre tão profundo, e geralmente tão melancólico... Me lembra olhar da janela a chuva lá fora, sentir o frio na pele. É triste, e ao mesmo tempo bom, te ler, é assim...

    Eu sei como é. Essa culpa. A gente sempre pensa que se curou, e quando menos esperamos, pronto, a paranóia volta. É foda.

    Força pra gente, porque precisamos. ♥

    ResponderExcluir
  2. O que a impede de terminar a autoescola, senao voce mesma? Parar de pensar so vai ajudar a te deixar pior a longo prazo: bote a cara a tapa!

    Faça valer as ultimas saidas com sua mae.

    O tempo nao te espera acordar.

    ResponderExcluir
  3. acho que não deve largar a toalha amiga,vc tem que ser forte!
    não fique triste,se anime!!
    Força sempre
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Ela anjinho... Pare de imaginar finais, ou momentos felizes... Comece a vive-los... Vc pode se impressionar com a facilidade que pode colocar uma pedra sobre is problemas e ser feliz.... Basta tentar... Bis...

    ResponderExcluir
  5. sempre leio seu cantinho .. só não consigo aconselhar ... desculpas.

    ResponderExcluir
  6. Não consigo saber o que dizer... Espero que você fique bem, que toda situação com sua mãe melhore e que você sempre escolha o que irá lhe fazer bem.
    Fica bem!

    ResponderExcluir
  7. Que poema lindo querida! Deve ser terrível ter que morar longe da sua mãe...mas você ficará com quem? >.<"
    Espero que o cinema seja legal como quer. Não entendi muito sobre a auto-escola, me explica depois? :)
    Essa briga sempre existirá, e se uma pessoa atiça-lá, ela volta com uma força superior a anterior. As pessoas gostam de nos causar esses tormendos, eles têm o prazer de ver os infelizes mais infelizes e etc... Mas, continue firme, faça da sua vida o que você quer, e não o que os outros desejam! Beijão

    ResponderExcluir
  8. oii... dei uma passadinha para te fazer uma visita e me deparei com uma maneira de escrever que me emocionou muito eu tambem adoro clarisse lispector!
    amei seu blog to te seguindo e pode contar comigo pra tuudo!!!
    kisses for you.

    ResponderExcluir
  9. Você escreve lindamente, sinto até inveja tua.
    Continue firme que você consegue chegar no seu objetivo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Ficar medindo os pulsos e a barriga.. Entendo como é isso e sei que é desanimador a cada vez que a gente tenta lembrar de que ja foi mais magro..

    Sua mãe vai se mudar pra muito longe? Sua irmã também vai?

    Seu último parágrafo foi lindo, mas sinceramente eu prefiro nunca ter a perder. Doi demais perder qualquer coisa e se você não tem ao menos pode fantasiar como seria.. .-.

    Seja forte. Espero chegar o dia em que você não tenha que fantasiar nada. se cuida.

    ResponderExcluir
  11. Coração humano é assim mesmo, inquieto e cheio de pendências. Porque a todo tempo ele busca respostas saudáveis. Esta luta é doída mesmo. Nunca é bom sofrer. Mas sofrer por ter sentido e vivido é menos ruim do que sofrer por nunca ter sentido.

    Beijo!

    ResponderExcluir