24 de julho de 2012

Do lado do avesso




Às vezes não me sinto bem em minha própria pele e, acho que as pessoas ao redor percebem isso. É como se eu tivesse uma velha placa pendurada no meu peito dizendo: Hey, veja! Estou desconfortável nesse papel. As conhecidas máscaras não têm mais o mesmo encaixe perfeito e alguma coisa no meu semblante sempre parece fora do lugar. Há dias em que acordo e o meu avesso fica me perguntando se não fiz nada de errado para as coisas estarem assim. Digo que não sei. Realmente não sei. Mas, não vai ser necessário passarem dez anos para eu perceber que tudo está saindo bastante diferente do combinado, daquele que eu fiz comigo anos atrás sobre o que eu queria para mim.

Nunca me encaro de frente. Só uso o espelho no tempo necessário, antes de o reflexo começar a me dizer que sou um fracasso. Acontece, vai chegando o aniversário e a briga interna se intensifica. Eu deveria ter outras preocupações aos vinte e quatro anos, não essas pertencentes a um estudante do último ano do 2º grau. Eu deveria estar pensando em uma pós-graduação ou em especializações. Estar num emprego estável. Deveria ter meu próprio carro. Ou até comprando artigos de decoração. Entretanto, leio mais livros do que eu imaginei – achei que não sobraria tempo para isso – e, tenho menos amigos do que desejei.

Formaturas para mim têm o mesmo sabor de casamentos para aquelas que ficaram para titia. Uma sensação de que todos acham que você está ficando para trás e começam a achar que há algo de muito errado com você, apenas por que ainda não conseguiu seguir o curso natural das coisas. Por que passou a vida inteira à sombra da expectativa dos outros, fazendo o que eles queriam que fizesse, sem se respeitar. Pois, acreditei que autonomia era ser autossuficiente, não precisar de ajuda, agora sei que não passa de abandono. Aprendi que liberdade é ter um objetivo no qual se prender. 
____________________________________________
"(...)você não sabe ao certo o que fazer da vida, está meio sem rumo, mas tudo bem, tudo certo, porque todo mundo é assim aos vinte e quatro anos. Na verdade, toda a nossa geração é assim." - David Nicholls - Um dia, pág. 32.

7 comentários:

  1. Vihh, não se culpe assim, nem sempre é tão fácil assim! Eu tenho 25 anos e não tenho um emprego... Faculdade não quer dizer muita coisa hoje em dia.... Vivemos entre os lobos! É difícil... Somos presas fáceis, somos pq sonhamos!
    Só não desiste... Eu não irei também!
    Fica bem... Cheirinho

    ResponderExcluir
  2. Vihh, não se cobre tanto, querida... a vida não segue como a gente planejou, acredite, para ninguém. Se formar não é garantia de sucesso ou felicidade, não muda na real nada na vida, o que muda a vida é o que nós fazemos dela, e para isso não existe hora certa. Cada um tem seu tempo, seu aprendizado, sua dose de felicidade e sofrimento distribuídas pelos anos... Se você está se deparando com a mudança dos seus antigos conceitos, que bom. Você está se tornando adulta. É uma bosta mesmo, dá um desespero, a sensação da falta de controle, de não se sentir capaz... mas é assim mesmo, é preciso lutar, só cabe a você virar a página. Não deixe a vida dos outros ditar as suas angústias. Corra atrás das suas conquistas por mais doloroso e difícil que pareça. Nada mais vai valer a pena...
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. nao esta sendo nada facil ne? mudanças tambem nao sao nada faceis, porem necessarias. mas coragem nao é apenas nao ter medo , e sim ter medo mas aconteça o que acontecer seguir em frente.
    bjuus

    ResponderExcluir
  4. Há muitas coisas que voce precisa buscar o lado positivo, sempre tem (:

    ResponderExcluir
  5. Sinto a mesma coisa quando vejo meu reflexo no espelho, quando lembro o que tem sido a minha vida e me faço as mesmas cobranças. Sei o quanto é difícil saber que poderia ter feito mais, ou pensar que poderia, saber que o tempo está passando e quanto tempo perdemos dando plantão nos nossos problemas. O fato de percebermos isso já é um passo. Como dizem: "Uma longa caminhada começa sempre pelo primeiro passo".
    Li todo o seu blog e me identifiquei bastante.
    Abç.

    ResponderExcluir
  6. Espero que esteja bem... uma semana cehia de bençãos a vc... abs

    ResponderExcluir
  7. "Eu deveria ter outras preocupações aos vinte e quatro anos, não essas pertencentes a um estudante do último ano do 2º grau. Eu deveria estar pensando em uma pós-graduação ou em especializações. Estar num emprego estável. Deveria ter meu próprio carro. Ou até comprando artigos de decoração. Entretanto, leio mais livros do que eu imaginei – achei que não sobraria tempo para isso – e, tenho menos amigos do que desejei."
    Destaquei essa parte mas o texto todo em si retrata EXATAMENTE o que sinto e penso nesse momento,pra piorar to sem emprego,sem namorado...Sabe sei que não adianta nada dizer ñ fica assim e blá blá mas sabe temos q tirar força desse 'fracasso' de alguma forma temos q buscar mudar essa situação a nosso favor.
    Boa sorte

    ResponderExcluir