7 de agosto de 2012

E o vento apagou




Ninguém entendeu o motivo que levou Fabiana Murer - campeã mundial em Daegu e prata nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara no ano passado – a desistir após duas tentativas falhas no salto de vara nas olimpíadas de Londres, seu argumento virou até piada nas redes sociais: o vento. Segundo ela estava muito forte, então escolheu não arriscar. Aquele seu inimigo invisível travou uma batalha particular contigo e teve êxito.

A revolta geral é plausível, a ela coube à missão de representar todo um país nos jogos olímpicos, ela não expôs só a si ao ridículo, muito menos se prejudicou sozinha. Então toda torcida a considera réu pelo massacre da expectativa.  E eu tive é dó dessa tal de Fabiana, por que pouco depois uma adversária venceu e mostrou que o vento só atrapalha quem já está vazio de tanto declarar as batalhas perdidas.

 Diferentemente da atleta, eu não sei até agora o que me fez desistir.  Tenho colecionado discursos mais discursos repletos de desculpas que talvez justifiquem isso, mas nenhum deles nem a mim mesma convence. Enquanto cantavam parabéns ao redor do bolo no último domingo, eu sentia como se não merecesse aquilo, todo o carinho deles de certa forma me constrangeu. A vela que assoprei trouxe a tona todos os sonhos apagados, como se eles tivessem sido esquecidos dentro dum armário esperando a minha iniciativa para queimar novamente.

O meu namorado, não deixou que esse dia fosse mais triste. Quando ninguém sequer mencionou o meu aniversário durante a comemoração dos quatro aninhos da minha irmã na noite do sábado, ele sugeriu um almoço com a minha mãe no outro dia, preencheu o vazio com o seu romantismo e carinho e eu percebi naquele momento que não precisava de mais nada. 

4 comentários:

  1. Namorados as vezes fazem o inferno virar o lugar mais doce da Terra, e me parece que muitas vezes com uma simples palavra ou gesto, eles consigam transformar v algumas das situações mais caóticas em algo rosa pálido e bonito. Eu tenho que admitir, quandosomos assim, problemáticas e estranhas, quando desistimos e nos culpamos por isso, trazendo conosco nuvens negras, eu tenho dó apenas deles...

    ResponderExcluir
  2. Na vida, devemos estar motivados a tentar sempre, desistir nunca. Muitas vezes vamos perder e isso também é aprendizado que nos motiva para novas tentativas, novas lutas.

    Que Deus te ilumine!

    ResponderExcluir
  3. Certas coisas que tu escreve me deixam sem palavras, essa é uma delas.

    ResponderExcluir
  4. Faço minhas as palavaras da Marcy : "Certas coisas que tu escreve me deixam sem palavras, essa é uma delas."

    Como vc é tãooooooooooooooooooooo sublime com as palavras e descreve seus sentimentos e sofrimentos em prosa, versos... que as vezes... sem palavras!

    ResponderExcluir