26 de outubro de 2012

Sentir não basta



Em meio à aula, num dia desses, meu professor comentava algo sobre a saúde pública no país, quando mencionou “O pobre depende do SUS, sistema horrível e humilhante – éramos uns seis alunos ao todo – vocês aqui possuem convênio, precisando de consulta seus pais os levam numa clinica particular e, logo são atendidos”. Eu não tenho plano de saúde, nem lembro qual foi à última vez que meus pais me levaram num médico. Rabisquei qualquer coisa no caderno, sem ousar erguer os olhos, a vergonha me consumia por dentro.

Estou no meu limite, pensei. Pagando uma mensalidade que é quase a metade do meu salário e, tentando aplacar alguns desejos de consumo, tão comum às outras meninas. Termina a aula e, cada um vai de carro para sua casa. Nunca tive problema em andar de ônibus, até comemorei quando o pude fazer, foi a minha carta de alforria do meu pai, ele me deixava esperando por horas na escola. Entretanto, ontem quando eu perdi o coletivo, tive tanto medo de ficar sozinha naquele ponto, então desejei ser igual aos outros.

Não estou querendo me fazer de vitima. Afinal, há tantas outras pessoas em situação semelhante ou pior. Mas o que você pode fazer quando ao invés de receber ajuda dos seus pais é você quem os ajuda? Vê algo bonito na vitrine e finge que não viu. Desmarca o shopping com as amigas usando as mais variadas desculpas. Ouve do seu namorado que você reclama toda hora sobre não ter dinheiro. Na verdade, situação financeira tem um peso enorme nas relações. E só lhe sobra entristecer, por que sentimentos são de graça. 

9 comentários:

  1. Eu também não tenho plano de saúde. Nunca tive. Estou aderindo a um agora. Sempre andei de ônibus. A vida toda. Minha situação é parecida com a sua: hoje eu trabalho para ajudar minha família quando, na verdade, deveria ter a ajuda deles. Também aplaco muitos desejos de consumo por não poder realizá-los agora.
    É uma situação dolorosa porque, enquanto você se esforça, e estuda, e trabalha, e fracassa algumas vezes em função do cansaço, vê todas as suas amigas terminando a faculdade, muito bem confortáveis em seus carros e suas vidas razoavelmente luxuosas.
    Eu não vou dizer para você aqueles blás de que, quando trabalhamos e somos mais humildes, valorizamos mais as coisas materiais e afins que conquistamos. Isso é uma verdade absoluta, mas não vem ao caso agora, porque ninguém dá a mínima.
    Mas sabe, Vihh, em meio a tudo isso, acho que nós somente temos dois caminhos: no primeiro deles, continuar remoendo essas coisas e maldizendo nossas vidas, ou, no segundo deles, tentar seguir em frente buscando soluções com gana de vencer. E assim vencer de fato, quem sabe. Portanto, sugiro que você lute, e que não se decepcione quando pagar metade do seu salário na sua faculdade. Tenha em mente que este é um investimento que te trará resultados melhores e positivos num médio prazo.
    Busque também "perenidade". Já pensou em concursos públicos? Eles são uma porta para a realização de sonhos impossíveis. Acredite em mim. Sou quase uma prova disso.
    E digo tudo isso aí em cima, porque eu realmente sei o quão é triste e desesperador a ausência de dinheiro para as coisas mais simples como uma ida ao shopping. Também sei que frustra não ter solidez financeira, tampouco uma base familiar para ajudá-la com seus gastos quando tudo hoje é pautado no que você tem e não naquilo que é.
    Acho estarrecedor que boa parte das relações de amizade, namoro, familiares e etc estejam embasadas sobre posses ou dinheiro. É o nosso mundo, mas não precisamos ser assim. Nós não temos culpa de não termos nascido em famílias ricas, mas nós podemos alcançar patamares melhores do que aqueles em que nascemos e vivemos atualmente.
    Pense... Qual o futuro em que você quer estar daqui a alguns anos? Certamente não é esse em que andamos em ônibus lotados e nos privamos dos bens que gostaríamos de ter. Se não nos movermos, a tendência é piorar. E não queremos isso para gente; sobretudo, eu não quero dar isso para os meus filhos, se os tiver um dia.
    Portanto, querida companheira -de quem sou leitora assídua e cuja palavras admiro- sigamos em frente, combatendo o cansaço e a "escassez financeira". Esses são os tempos das vacas magras, busquemos os das vacas gordas.
    Não fique triste, ok? Erga essa cabeça. =)
    (Se isso dói na gente, essas dificuldades, imagine o quanto não dói em nossos pais? Dói não poder ter as coisas, mas, talvez, doa ainda mais nas pessoas que nos amam não poder nos dá-las).
    Anime-se e continuemos.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Escrevi muito, desculpe. O trágico é que, para além dos custos naturais do cotidiano, ainda me meto em "hiper-gastos" por causa do transtorno alimentar. É, alimentação light custa caro. Compulsão alimentar também. E remédio para garganta e estômago, nem vou comentar...
    =**

    ResponderExcluir
  3. oi amiga tudo bem ???
    espero que sim,bem também não tenho plano de saúde e sei bem oque é dar a ajuda aos pais,as vezes dá vontade de jogar tudo pra cima e esquece do resto,mais a ética e o amor fala mais alto que qualquer dificuldade e qualquer aperto .
    fique bem e força sempre bjss!!!

    ResponderExcluir
  4. Também não tenho plano de saúde,quando passo mal nem me dou mais ao trabalho de ir ao médico. Sei que de nada adianta,depender dos sistema de saúde falho e precário que temos. Prefiro morrer em casa,é melhor que de um erro médico,de um qualquer despreparado. E,também entendo o quanto o dinheiro conta nas relações. É bem frustrante ter que contar centavos para fazer os programas mais simples e ainda assim,receber criticas negativas dos "namorados (as)". Enfim,isso é tudo.

    Força Chica!
    Bjooscocalightplus♥

    ResponderExcluir
  5. Oi querida, talvez as pessoas não te entendão, mas eu sei o que vc esta querendo dizer, o problema em si não e ter o plano de saude e sim no momento não ve futuro talvez hoje vc veja as pessoas em sua volta indo em frente e vc se sinta parada, mas o importante e vc não desistir fica firme que um dia vc consegue vai dar tudo certo confia, isso e só uma fase vai acabar, isso tudo e pra te fazer uma mulher forte doi muito, mas lá na frente vc vai ser vitoriosa to te mandando energia positiva pega ai levanta a cabeça e força.Bjss

    Obs:Sobre seus pais vc teve parar e analisar se eles precisam de sua ajuda, se for o caso agradeça a Deus por poder ajudar mesmo que seja dificil, agora veja se eles não tão abusando, ai vai de vc não deixar as pessoas te usarem mesmo sendo seus pais.

    ResponderExcluir
  6. É a vida, eu sei que é injusta, mas só estudando e se esforçando muito que você conseguirá mudar isso. Eu tenho uma situação parecida com a sua, eu te entendo. Isso pode mudar!

    ResponderExcluir
  7. Pois é amiga, não existe vitórias sem lutas, por isso foque no seu objetivo e siga em frente, vivendo um dia de cada vez. Que o Senhor te anime e te fortaleça por todos os dias da sua vida. Bjus

    ResponderExcluir
  8. Foco, força e fé! Coloque tudo nas mãos do Senhor e confie. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  9. Eu passei por situação parecida a sua quando fazia faculdade. Eu sequer trabalhava, vivia de mesada. Não podia comer um lanche ou ter as roupas das minhas amigas... Foi uma fase difícil.

    ResponderExcluir