22 de novembro de 2012

Do lado (vazio) esquerdo do peito


Faz um tempo que deixei as comparações de lado. Faz um tempo mesmo que parei de querer ser uma pessoa totalmente desconhecida e estou tentando fazer as pazes comigo. Foi complicado, ainda mais na adolescência, aceitar o fato de que o papel de rainha do baile não era para mim. Não que eu quisesse ser exibida ou algo assim, apenas gostaria de ter mais amigos, fantasiava um estilo de vida igual ao das garotas dos seriados em que assistia. 

Olhando para trás eu percebo: sempre fui uma menina sozinha. E essa solidão me ensinou a gostar de livros. Talvez seja por isso que em todos os meus aniversários, negava a opção de presente e preferia festa. Eu e minha irmã, na última terça conversávamos sobre isso. Deitada na minha cama e olhando para o teto eu a escutava mencionar alguns nomes antigos. Sua principal reclamação era o término dessas amizades. Algumas pessoas fazem apenas parte da nossa listagem de “amigos” no Facebook e nada mais. 

- Se penso – desabafou minha irmã – em ir ao shopping, por exemplo, não tenho ninguém para chamar, é triste, mas não tenho nenhuma amiga. Após ela dizer isso, não falei nada, não dizemos mais nada, um silêncio cúmplice e morno ficou suspenso sobre nós. Continuei lendo um e-book e aguardando um amigo a quem havia chamado pela manhã através do MSN para ir em casa, somos praticamente vizinhos. 

21h12min: Adormeço de óculos. Com o tablet ligado. Ouvindo o chiado do fone de ouvido da minha irmã ao lado. 23h45min: Acordo desorientada. Ouço-a murmurar “Seu amigo não veio...”. Desabo novamente no travesseiro. Esperei alguma justificativa por parte dele no outro dia, mas isso também não veio. Uma hora simplesmente você desiste de insistir e passa a se conformar com as coisas. Pois, aprende que deixar alguns assuntos intocados evitam tristezas e decepções.

12 comentários:

  1. Oi querida Vihh, sua amiga estava do seu lado,gostaria eu de ter alguem com quem compartilhar esses momentos.Bjsss

    ResponderExcluir
  2. A verdade é que a decepção pode ser grande,mas ficar relembrando pode causar uma mágoa maior ainda.
    Então você faz de conta q esquece,e o outro faz de conta q esqueceu,como se assim a ferida fechasse mais rápido,não sabendo eles que outras centenas de feridas estão abertas esperando o mesmo.
    Feliz seria o ser humano se pudesse apagar suas memórias.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. sua melhor amiga é sua irmã... fiquei lendo e pensando,pois eu sou o tipo de pessoa que quanto menos amigos tem melhor acha, sabe não gosto muito de ter varias pessoas intrometendo na minha vida!

    ResponderExcluir
  4. Eu cansei de desistir de amizades por falta de reciprocidade, voltar atrás e ver que aquela pessoa realmente não fazia a MENOR questão de ser minha amiga.

    Concordo com as gurias. Teu relacionamento com a irmã parece ser tão mais profundo do que qualquer amizade, e isso deveria ser valorizado. Foi algo que eu não tive porque minha irmã é mais velha e por termos personalidades diferentes. Mas eu invejo quem pode ter uma irmã parceira.

    ResponderExcluir
  5. Às vezes a solidão é mesmo a melhor companhia. Mas, quando se tem uma irmã, nunca se está realmente só! =)

    ResponderExcluir
  6. Amor to seguindo , segue de volta? bjs =3

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre, sempre fui muito sozinha. Na escola, no trabalho, na vida... Nunca tive muitas amigas (pra ser sincera, só as tive até os 15 anos)
    Sinto muita falta de ter alguém pra chamar pra sair,passear e fazer confissões de mulheres... Me dá um vazio saber que não tenho alguém a quem pedir um conselho, que não consegui cativar algo tão especial como uma amizade sincera...

    Não sei o que fazer quanto a isso, como conviver.. Preciso aprender...

    ResponderExcluir
  8. A lista do facebook... é realmente só uma lista. Eu nem tenho mais, depois da morte de minha mãe, desistir dessa "amizade lista". Não critico quem tem o faz uso... posso até voltar, mas não pretendo, pois vejo que é melhor, saber no duro e real, que vc não é tão querida como nos seriados, como vc gostaria... e saber que a vida tem que continuar mesmo que seja de mãos dadas com a solidão!

    A vida é assim para muitos, as vezes, imaginamos que fulando tem vários amigos é feliz, as não é! Já ouvir depoimentos de pessoas que eu acahava que tinha tantos amigos... e era feliz...mas na realidade não era bem assim!

    Vihh saudades de ti!
    Estou retornando aos poucos minha flor.
    Tenho post novo lá no meu blog.
    Vai saber o meu sumiço.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Não consigo combinar algo e não ir. E mesmo que aconteça um caso grave, um motivo forte, sempre aviso. Agora ficar sem notícias não dá...
    Me sinto sozinho também, quase não tenho amigos pra chamar pra ir num canto, ninguém me visita em casa... São poucos que realmente são amigos mesmo... Enfim!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. acho que estamos todos nessa mesma crise, só ontem conversei com duas amigas sobre essa falta de amizades. engraçado porque eu as considero como minhas amigas e elas me consideram assim também, mas no fundo, todo mundo está tão só e conformado.

    ResponderExcluir
  11. Olá, como vai? Criei um blog sobre o Transtorno de Personalidade Borderline. Se você tiver interesse sobre o assunto, seja muito bem vinda :) http://tpborderlinebrasil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Tenho que dizer que isso que você acabou de narrar muitas vezes são meus fins de semana, marco algo com amigos, fico esperando, até o ponto de ficar entediado com televisão ou computador e adormeço, e quando acordo sobressaltado e pego o celular não vejo nenhuma ligação ou mensagem para falar o que houve.
    A maioria de meus amigos na verdade eu não vejo por semanas, às vezes por meses e percebo que eles parecem que tem vidas duplas, triplas por que eles tem vários tipos de círculos de amizade e ai percebo que sou solitário, más acontece e eu prefiro assim, o quanto mais longe eu estiver menor a chance de algo me magoar.
    Um abraço e boa sorte...

    ResponderExcluir