12 de agosto de 2013

Feliz dia, pai.

      Sinto uma pontada de vergonha ao admitir que, no fundo eu não estava nem um pouco afim de comprar ou fazer algo para o meu pai. Gastei umas duas horas do sábado, rodando em busca de algo para lhe dar de presente, para não encontrar nada. Não sei sequer o número que ele calça ou, o tamanho que veste. Liguei para a minha irmã ela também não sabia...

      Entretanto, com a consciência pesada, aproveitei a ideia e generosidade da minha sogra e preparamos um cesta "café da manhã" para ele e meu avô. No meu intimo, não conseguia formar um cenário deles dois dividindo uma mesa junto. Mas, não falei nada. Preferi ocultar mais esta obscuridade da minha família. 

       Mal chegamos e já pude sentir o clima de tensão. Agarrei a cesta com as duas mãos, como alguém que alça uma bandeira branca em meio à guerra, poderia dar certo ou não. Bobeira imaginar que, com aqueles laços azuis algum tipo de magia poderia descer naquela casa e quem sabe amenizar a situação. Havia repartido para dois quase todos os itens: dois bombons, duas torradinhas... Enfim, meu avô não chegou a ver o que tínhamos preparado, minha avó o arrastou irritada  para almoçar fora. 

       Sobrou o sentimento de dever cumprido, mas só isso. Depois que os laços foram desfeitos, percebi que eles eram a unica coisa que unia algo naquela casa. 


10 comentários:

  1. Que situação chata, mas uma coisa foi certa: a sua parte você fez.
    Tente mais dessas coisas porque uma hora não vai ser em vão. Convivência em família é complicada e tem horas que dá vontade de jogar tudo pro alto, mas com um tanto de paciência e insistência, as coisas melhoram uma hora...

    se cuida.

    ResponderExcluir
  2. Nossa moça achei essa cena que você descreveu um pouco triste,o dia dos pais aqui na minha casa também não foi dos melhores...mas pelo menos você fez sua parte né.
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. =/ eu queria tanto ter ido ver meu pai... mas não deu, trabalhei o dia todo... =/

    Força <3

    ResponderExcluir
  4. Família é uma coisa difícil mesmo, eu mesma tento pq tento lidar bem com a minha e não consigo sei lá....
    Dizem que o tempo é o melhor remédio então espere quem sabe no futuro melhore ;)
    Bjos =*

    ResponderExcluir
  5. Acho que sinto mais isso no Natal, onde a felicidade forçada domina o cenário... Laços de família sempre são nós atados na dureza do tempo: alguns são interessantes, mas boa parte deles guarda rancores e anseios frustrados: melhor seria deixar fluir a coisa sem datas programadas - quem sabe uma conversa mais sadia surgisse e amenizasse tudo? Bela crônica de sentimentos, Srta. Abraço e apareça!

    ResponderExcluir
  6. Família é um muito complicado. Mas você sabe que fez sua parte!
    Acho eu, no meu intimo que não tem uma data especial para demonstrar que gostamos da outra... seja dias dos pai, mãe, namorado etc.... mas para quem gosta é uma cena um tanto triste!

    Saudades de ti linda!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Tristeza retratada com tanta sutileza que emociona. Lindo!

    ResponderExcluir
  8. Que triste! E você escreve tão bem! Adorei

    ResponderExcluir