20 de fevereiro de 2015

O retorno à nutricionista



Fui sem pretensão de voltar, estou acostumada a isso. Na verdade, eu até queria ter desmarcado a consulta, mas felizmente ou não, segui em frente. Ela, sorridente - como sempre, perguntou como foi o meu carnaval. Respondi com aquele clichê idiota: Pulei carnaval na minha cama... Enfim, não deixa de ser um pouco verdade. Nada contra a "folia", apenas não gosto da tal muvuca. 

Papo vai, papo vem. Chegou a hora de me pesar. A nutricionista sempre me pede para ficar de costas para a balança, não sei o por quê. Pela expressão dela, percebi que coisa boa não era. Eu não poderia estar mais certa, 1 kg. Em menos de quinze dias eu fiz a proeza de ganhar o que vim tentando perder durante dois meses, obrigada organismo. Indignada com o meu resultado, ela diminuiu alguma das porções,  enquanto me sentia igual criança que tirou nota baixa no colégio. 

O resto da consulta foi mais do mesmo, pergunta sobre exercícios - pequeno sermão pela falta deles, mini palestra sobre a importância do consumo de frutas (ou vivo ou passo ali no mercado e compro duas maças num total de dez reais). 

8 comentários:

  1. Acho que nunca me vi tanto num post!

    ResponderExcluir
  2. já fui em varias, mais sempre a mesma coisa ... em fim ... desisti ... ando desistindo de tanta coisa, meio pra baixo esses dias ... estou voltando com blog pra ver se animo ... tb passei o carnaval tipo na cama ... beijos linda ...

    http://correcamila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu nem vou na nutricionista(fui umas 2 vezes na vida). Não gosto dessa postura de me tratar igual criança, e ja sei de cor e salteado tudo que ela vai falar, eu sei qual é o certo. Eu gosto do errado, ainda não fodi minha saúde, e não tenho nem a pretensão de viver por muito tempo. Quando estou otimista até penso que um dia serei saudavel, vegetariana, voltarei para o balllet e mais mil planos de mundo perfeito.
    Mas enquanto eu não estiver disposta a viver no mundo cor de rosa dela não adianta, eu não vou no mercado toda hora, não vou fazer mil refeições, não vou cozinhar, não vou gastar dinheiro com comida pra apodrecer na geladeira e feder e estou cansada/sem tempo/sem vontade pra atividade física.

    ResponderExcluir
  4. Quando fazia terapia, quase toda sessão a terapeuta me vinha com a proposta de tentar uma nutricionista. Apesar da doença mental com peso e coisa e tal, nunca estive acima dos níveis saudáveis. Ou seja, provavelmente ela iria me dar uma dieta com umas 1000 calorias diárias, que, na época, eram as totais de uma semana. Enfim... acho que eu iria travar uma bela briga com a nutricionista no seu lugar. Mas é sempre bom ter uma cabeça "normal" nos ajudando a lidar com as nossas questões não tão normais assim.
    Senti sua falta. Mesmo não comentando, sempre venho te ler. Tem algo em comum entre nós, além da faculdade de psicologia, e isso deve ser bom (pelo menos para mim) porque te acho alguém admirável.

    ResponderExcluir
  5. Affff flor 1kg e eu que ganhei 3 kkkkkkkkkk quase surtei mas enfim não podemos desistir....agora eu já voltei no peso anterior mas as jacadas acontecem mesmo.
    NÃO DESISTE!!

    Beijinhos,
    Blog da Pâm!!

    ResponderExcluir
  6. Vim dar uma olhada aqui e amei suas crônicas e estou seguindo! No começo pensei que esta crônica seria sobre anorexia, infelizmente já lutei contra essa doença. Bela escrita. Um beijo!

    www.eunomadiando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sarah!

    Sei que o assunto da postagem não é muito "animador" (papo sério), mas tenho que dizer que gostei muito do jeito que você escreve...
    Essa história de comer e engordar é complicada mesmo... Comer é tão bom!

    Abraços, Cris

    ResponderExcluir