30 de março de 2015

Algozes de nós mesmos



Quantos anos eu pareço ter? Errou. Sou bem mais velha do que isso. E vou te dizer por quê. Quando nasci, eles (os adultos) já tinham banido a palavra “paz” do nosso dia-a-dia – a palavra entrou em extinção, daquelas que se sua mãe te ouvir dizendo, capaz de bater na sua boca e te mandar parar de dizer bobeira. Quem me dera se tudo o que eu sei sobre guerra eu tivesse visto na escola ou num filme na TV.

Eu conheço esse seu olhar, ele me diz que eu deveria estar brincando. Mas, você conhece as crianças, elas dão seu jeito.  Apesar das diversas brincadeiras, das horas nas quais esquecemos tudo isso, não dá para ignorar o fato de que não sabemos qual será a próxima mãe a chorar. Você vê a minha foto. A compartilha nas redes sociais. Se pergunta como o mundo pode ser tão injusto e blá blá blá. Depois reclama do seu domingo, entediado, enquanto “pelo menos 26 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em ataques aéreos do regime sírio perto de Damasco” (G1). A intenção não é fazê-lo se sentir culpado, cada um tem a sua guerra particular. 

Como uma criança poderia confundir uma câmera como uma arma? Sou um alguém que como tantos outros, descobriu desde cedo o significado de se render, o seu pior significado. Aprendi que os monstros não residem só embaixo da minha cama e não são quadrúpedes e horrorosos, eles até se parecem comigo, com meus parentes e contigo. Quando você não sabe mais quem ou quê pode lhe ferir, o jeito é aprender a conviver com isto, se adaptar e acreditar numa mudança utópica, onde crianças sejam apenas crianças e câmeras sejam apenas câmeras. 

*A pretensão do texto não é ser sensacionalista. 

14 comentários:

  1. Foi o texto mais sensível que li até agora sobre a foto viral. Muito bonito, tocante, salvei como favoritos. Sua escrita é demais. Um beijo!

    Eu.Nomadiando

    ResponderExcluir
  2. Profundo e tocante definem o texto.
    Você escreve muito bem Sarah ♥

    Beijão

    Opinando Moda

    ResponderExcluir
  3. Ah, este nosso adorável mundo novo, pintado à vermelho escarlate e carregado de sentimentos impuros, sim, cada um tem sua guerra pessoal, mas até que ponde devemos ou não dar atenção ou preocupação? É delicado o que tu escreveu, profundo também, e ardiloso colocar em todos os sentidos que apareceram.

    Um belo texto.
    xoxo

    ResponderExcluir
  4. essa foto é muito triste, fiquei imaginando que a própria mãe da criança deve ter ensinado isso à ela: "se alguém apontar uma arma à você levante as mãos e se renda" :(
    Isso são coisas normais no mundo de hoje né? Muito triste...

    ResponderExcluir
  5. Esse texto me tocou de uma forma... Parabéns, lindas palavras.
    Tem posts quentinhos no meu blog esperando por você, vai lá ver!!!
    Um beijo, linda! Boa semana.

    www.tresestacoes.com

    ResponderExcluir
  6. Seu texto não foi sensacionalista.
    Adorei o blog, estou seguindo! ♥

    http://escrevicomflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu vi essa foto por aí e fiquei impressionada. A infância está sendo morta. Onde já se viu uma menina desse tamanho já saber o que é arma, que arma é perigo, que perigo é morte e que precisa se render e ficar quietinha pra sobreviver?
    absurdo. O mundo tem sido absurdo.

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Essa foto e a história dela me deram um nó na garganta difícil de descer...

    ResponderExcluir
  9. "Como uma criança pode confundir uma câmera com uma arma?" eu me fiz essa mesma pergunta quando vi a matéria dessa foto. E também fiquei pensando quantas crianças estão por aí com esse mesmo medo? Ou com fome? Ou sem alguém para olhar por elas? Não só crianças, mas todas as pessoas num geral. Quantas estão nessa situação? Ou numa pior? É horrível pensar que o mundo está desse jeito.

    Adorei seu texto, ficou ótimo e nada sensacionalista viu?
    Beijos,
    http://www.girlbeinggeek.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Lembro quando eu vi essa foto fiquei bem impactada. Acho que esse texto traduz bem esse sentimento. Que realidade cruel.. E eu me pego me sentindo mal por dramatizar as pequenas coisas da minha vida..
    beijos.
    http://lugaaraosol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo e triste ao mesmo tempo. Acho que nunca vou me esquecer dessa foto, como a humanidade pode ser desumana a ponto de criar esse medo e comportamento em uma criança? Triste.

    Você escreve muito bem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Sua escrita chega a me encantar. Texto maravilhoso, e nada sensacionalista. xoxo

    http://mundodefany.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ah poxa, tantas crianças ficam sofrendo com guerras e tudo mais, espero mesmo que elas tenham paz e possam ser simplesmente crianças.♥

    PiinkCookie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Gostei tanto do post que te recomendei na minha ultima publicação =) se quiser ver é só entrar nesse link: Eu.Nomadiando


    Um beijo!

    ResponderExcluir