16 de outubro de 2015

Até logo.



Novamente só fui lembrar do aniversário do meu pai já quase no final do dia, mandei uma mensagem discreta - não muito diferente da que ele me mandou no meu aniversário. Isso não é novidade e é bem frustrante. Não sinto vontade alguma de agradar, fazer surpresas etc. Vocês já devem ter percebido isso. A verdade é que não estou tendo muita coisa para contar aqui. Sendo assim, peço sugestões nos comentários, algo que vocês queiram saber sobre mim, o que interessam vocês (culinária, resenhas e/ou decoração). 

Estou na mesma e nunca tive o desejo de transformar esse blog num muro de lamentações. Sempre quis ser aquela que serve de inspiração para as outras pessoas de forma positiva, não apenas mostrando sofrimento, luta e como a vida é difícil. Dessa forma, até que as coisas fiquem nos eixos e eu possa me sentir ao menos um pouco melhor para escrever coisas inspiradoras, devo deixar aqui de lado um pouco. Cansei de ser a vitima na minha própria história. Eu tenho atuado nesse papel há tanto tempo que enjoei. Acho que ninguém está interessado nas mesmas reclamações sempre. 

Apesar de tudo, continuo enviando currículos, procurando um jeito de ter um canto só meu. Procurando encontrar meu lugar nesse mundo e com medo de ser em lugar nenhum. A terapia tem me ajudado, mas é um processo e são tantas feridas. Já tenho visto melhoras, venho me impondo mais, me priorizando mais. Meu problema é que estou sempre esperando alguma coisa extraordinária acontecer para me salvar, tenho ignorado as pequenas conquistas ou elas funcionam como anestesias cujo efeito logo passa. 

Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário