3 de abril de 2016

Segundos


Não. Não foram oito segundos, mas sim dois. 
Uma fina linha tênue entre aprovação e reprovação. Meus pés pousaram exatamente nessa fronteira. O quase subiu à minha fala, mas acabou despedaçado no ar. Muitas coisas aconteceram desde a última vez que escrevi. A primeira delas foi a que eu saí do meu serviço. Não sou mais recepcionista. Não tenho mais que atender telefones, ou me preocupar com o portão e o interfone.  

Foi muito simples, fácil eu diria. Completamente diferente do que imaginei. O desfecho, como num passe de mágica, do ontem eu era, hoje já não sou mais. Deveria ter acontecido há muito tempo eu sei. Às vezes, eu acredito em destino. Dos tempos de ir à igreja, uma coisa sobrou: Tudo acontece no tempo certo. Decidi sair do emprego e um estágio ótimo apareceu! Estou gostando muito.

Sobre o que comentei no começo do post: Tirei a habilitação. Só ultimamente percebi o quanto ser ansiosa fez de mim uma pessoa pessimista, num termo leigo, sempre com aquele receio do pior acontecer. Se por acaso você tem vários pensamentos assim, melhor prestar atenção... Segundos são suficientes para as coisas acontecerem, coisas boas também, acredite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário