26 de novembro de 2016

Seu caminho



Somos como partículas no ar. Estamos aqui hoje, amanhã talvez não mais. Somos feitos de carne, osso e sonhos. Levados por essa maré que carinhosamente apelidamos de vida. Dançando uma canção sem saber direito seu ritmo, tentando continuar vivos, tentando sobreviver. O cara pulou da ponte enquanto seu pai fazia compras. A garota falou que ia tomar banho e nunca mais voltou. Preferiram se desfazer de vez. E quem fica se pergunta o que poderia ter feito. Um peso amargo no peito. Sem saber que aquele carregava um mundo inteiro, já havia passado da linha do desespero. 

As pessoas não querem falar sobre isso. Algumas simplesmente não entendem o motivo disso acontecer, por nunca terem pensado nisso. A mente é um abismo. Um buraco negro. A mesma coisa que te faz feliz, não alegra seu colega do lado. O remédio que faz efeito em você, não faz nem cócegas no outro. Não é possível generalizar o sofrimento, nem o enfeitar. Os cortes no seu corpo não foram feitos para serem bonitos, ornamentos desse mundo louco. 

Sempre fez sentido o trecho daquela música que diz: Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Não existe caminho certo. Existe o que dá certo para você. O que te impulsiona, te empurra para frente. Não deixa você parar. Espero, de coração, que você ache o seu. Sinta-se abraçados.


3 comentários:

  1. Você escreve muito bem! "Dançando uma canção sem saber direito seu ritmo", ainda bem que na maioria das vezes podemos escrever as letras dessa canção ♥

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Texto lindo e está tão relacionado ao momento que estou vivendo. Buscando o que me move, tentando não deixar que o abismo me engula. Tudo parece superficial e frio, indiferente. Como se cada coisa que importasse - ou devesse importar - não importe mais. E ainda temos que ser levados pelo fluxo da necessidade de viver. Trabalhar para viver, viver para trabalhar, porque, ultimamente, é quase a mesma coisa. Como você bem colocou, "E quem fica se pergunta o que poderia ter feito.", é algo que precisamos preocupar menos, mas, por enquanto, é um martelar constante na mente.
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Gosto de pensar que a vida é um sopro e às vezes fico muito assustada com tudo o que nos pode acontecer e mal temos consciência, pois só focamos em desejos materiais ou carnais, no agora, no que atende ao nosso próprio umbigo e mal sabemos o fim que podemos levar, muito menos quanto tempo temos nesse mundo :/

    De cara com a Juh

    ResponderExcluir