31 de dezembro de 2017

Feliz ano novo.


Eu não queria ser má comigo mesma na última noite do ano. Enquanto pensava isso, meu porta diploma descansava a poucos metros de mim. No spotify tocava The night we met (Lord Huron). No bate papo do face, uma prima - recém separada - precisava de algum conforto. Tentei dormir durante a tarde, mas não consegui, as preocupações provocavam batidas descompassadas no peito. Péssimo momento para ter parado a terapia por falta de dinheiro. 

Na hora do almoço, de touca e pano úmido em uma das mãos, eu trabalhava para que tudo saísse da forma que a minha mãe queria. Nada menos que perfeito. Agora eu percebi: não conseguimos ter uma conversa decente que não se resumisse em comida, cliente, marmitas, você não fez isso ou aquilo. Concluí que era impossível agradá-la. De certa forma sempre foi. Eu a via sorrindo, mas era um sorriso de quem havia implodido e soltava faíscas. Nossa relação, agora também de trabalho, se assemelha com aqueles caldos cujos os ingredientes não foram o suficiente para engrossar e ficar bom. 

Meu avô materno me abraçou muito quando chegou. Eu deveria estar cheirando a algo defumado, mas ele sorria e me falava de orgulho. Orgulho por eu ter me formado e agora ser uma "doutora". Ele nem deve ter se dado conta que pegou meu coração na mão por uns segundos e o aqueceu suavemente. Fiquei me questionando qual foi a última vez que eu senti orgulho de mim, que eu me abracei e valorizei meu esforço. Eu só tenho me maltratado desde a colação ou desde que sai do estágio.  

2017 não foi aquele ano. A sensação que fica é de não ter feito o suficiente, de ter feito escolhas erradas. Mas, eu não posso me culpar pelas coisas que não dependiam apenas de mim. Não dá para controlar tudo ou prever. 

4 comentários:

  1. Que amorzinho seu avô!😍
    Se ame mais você é uma pessoa de valor. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Tenha mais empatia por si mesma e valorize também suas conquistas, por mais pequena que elas sejam!
    Beijos, Queen.

    ResponderExcluir
  4. Tu me deixou um comentário tão bonito, aí venho aqui, não sei dizer o motivo, mas bate uma saudade da minha vó. :'(

    ResponderExcluir